sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Datafolha: Bolsonaro, 26%; Ciro e Haddad tem 13% cada; Alckmin, 9% e Marina, 8%

No segundo turno, Jair Bolsonaro perderia em eventual disputa para Ciro Gomes (45% a 38%). Em relação a Marina Silva (43% a 39%) e Geraldo Alckmin (41% a 37%), a desvantagem do candidato do PSL está na margem de erro. Em relação a Fernando Haddad, a vantagem de Bolsonaro é de um ponto percentual (41% a 40%). No fim da postagem você pode comentar com seu Facebook ou Google +.

Publicado em 14/09/2018 - 19:40 e atualizado em 14/09/2018 - 20:33 Por Agência Brasil e editado por Carolina Pimentel - Brasília - Reproduzido por Brasil Contra Corrupção

Imagem. Agência Brasil - EBC - Montagem BCC Brasil Contra Corrupção

Nova pesquisa do instituto Datafolha mostra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) com 26% das intenções de voto na disputa presidencial. Fernando Haddad (PT) atingiu 13% e está empatado com Ciro Gomes, que tem o mesmo percentual. Geraldo Alckmin (PSDB) obteve 9% dos votos e Marina Silva (Rede) é a candidata de 8% dos entrevistados.


Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo) marcam cada um 3% das intenções de voto. Também estão empatados Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL) e Vera Lúcia (PSTU), com 1%. João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram.

Treze por cento dos entrevistados declaram votar em branco ou nulo; e 6% não sabem ou não responderam.

O levantamento foi feito ontem (13) e nesta sexta-feira (14) junto a 2.820 eleitores em 187 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pelo jornal Folha de São Paulo e pela Rede Globo e registrada com o número BR05596/2018 na Justiça Eleitoral.

Comparação

Na comparação com a pesquisa realizada na última segunda-feira (10), Bolsonaro oscilou dois pontos percentuais, Haddad cresceu quatro pontos percentuais e Ciro manteve-se estável. O ex-governador paulista Alckmin perdeu um ponto percentual e a ex-senadora Marina desceu três pontos.

Não oscilaram os percentuais de intenção de voto os candidatos Alvaro Dias, Meirelles, Amoêdo, Daciolo, Boulos, Vera Lúcia, João Goulart Filho e Eymael.

A proporção que declara votar nulo ou em branco reduziu em dois pontos percentuais e o número de indecisos e não respondentes oscilou em um ponto.

Rejeição

Em relação à rejeição aos candidatos, Bolsonaro manteve o maior percentual, que subiu um ponto percentual entre as duas pesquisas: 44% declararam que não votariam de “jeito nenhum” no candidato no primeiro turno. O mesmo fenômeno ocorreu com Marina, que agora tem 30% de eleitores contrários à sua eleição.

A taxa de rejeição a Haddad cresceu de 22% para 26%. Alckmin tem 25% de rejeição; e Ciro, tem 21%. Os dois candidatos oscilaram um ponto percentual entre a pesquisa do começo da semana e a realizada ontem e hoje.

Vera Lúcia tem 19% de taxa de rejeição; Daciolo, 18%; Meirelles, Boulos e Eymael, 17%; Alvaro Dias, 16%, Amoêdo,15% e João Goulart Filho, 14%. A rejeição a Alvaro Dias oscilou dois pontos percentuais. Não houve alteração nas taxas de rejeição de Meireles, Amoêdo, Vera Lúcia e Boulos

Os percentuais de eleitores contrários de Daciolo, Eymael e João Goulart Filho caíram 1%, respectivamente.

2º turno
O Instituto Datafolha ainda simulou disputas entre os presidenciáveis no 2º turno entre os principais candidatos. Bolsonaro perde em eventual disputa para Ciro (45% a 38%). Em relação a Marina (43% a 39%) e Alckmin (41% a 37%), a desvantagem está na margem de erro. Em relação a Haddad, a vantagem de Bolsonaro é de um ponto percentual (41% a 40%).

Além de Bolsonaro, Ciro Gomes tem vantagem em eventuais disputas com Haddad (45% a 27%); Marina (44% a 32%); e Alckmin (40% a 34%). Alckmin supera Haddad (40% a 32%) e Marina (39% a 36%). A candidata da Rede tem cinco pontos percentuais de vantagem em relação ao candidato petista (39% a 34%).


Copiado da EBC - Agência Brasil por Brasil Contra Corrupção