sábado, 20 de junho de 2020

Hang da Havan: "Redução do endividamento com a venda de patrimônios e uso de reservas internacionais"

Hang da Havan: "Redução do endividamento com a venda de patrimônios e uso de reservas internacionais"

O empresário dono da Havan, Luciano Hang, divulgou em seu Facebook uma postagem sobre equilíbrio para as contas públicas. Havan tem 147 lojas no Brasil e segundo o Veio da Havan que é como o dono chama a si mesmo: "R$ 2,5 milhões para a Havan? Meia hora de faturamento." Leia abaixo.

"A pandemia de coronavírus afetou a economia global e com o Brasil não foi diferente. Para equilibrar as contas e reforçar que o país é seguro para investimentos, o Ministério da Economia prepara uma meta para Dívida Pública, que prevê a redução do endividamento com a venda de patrimônios e uso de reservas internacionais. Ninguém investe num país falido. A máquina pública brasileira cobra caro e não devolve nada para a sociedade. Apoio totalmente este tipo de iniciativa. A gestão pública é como administrar uma empresa. Se você tem muitas dívidas, tem que buscar alternativas para progressivamente diminui-las, fazer cortes e se ajustar a realidade atual. Paulo Guedes e sua equipe acertam em tratar a economia do país como um negócio, que precisa caminhar para o saldo positivo e investir o dinheiro em saúde, educação e segurança", diz Luciano Hang em seu perfil no Facebook.
.


Hang sobre fake news: "R$ 2,5 milhões para a Havan? Meia hora de faturamento."


"Não pode fazer Fake News, não esqueça. Fake News não é somente feito pela internet, pelo WhatsApp, os grandes órgãos da imprensa são fabricantes de Fake News. O Estadão de hoje, lê aí Barbara: 'Receita aponta sonegação de R$ 2,5 milhões  do dono da Havan'.

Olha só, aqui está o meu diretor de Contabilidade e aqui está o meu Jurídico, Jailson isso é? 'Foi uma notificação em 2009, isso aí está discutindo administrativamente nem fomos nem intimados ainda. É sobre um contrato, sobre a incidência de um imposto ou não de INSS. Pagamos ano passado R$ 130 milhões de INSS', esse valor é irrisório perto de tudo que contribuímos'.
É um imposto que nós estamos discutindo sobre um patrocínio que nós demos para um time de futebol. Eu vou dizer para vocês, sabe o que representa R$2,5 milhões para a Havan? Meia hora de faturamento. É nada, ano passado pagamos R$130 milhões, não é isso? 'R$130 milhões de INSS'. Só de? 'Só de INSS'. Só de INSS, então é zero, mas eles fazem como se fosse um valor enorme. Será que eu estou incomodando tanto assim, a mídia brasileira, a velha mídia? 'E nesse caso não é questão de querer pagar ou não, é de pagar o justo'. Isso. 'É um direito do contribuinte poder discutir se...'

Se é ou não é. 'Se não é devido'. Se for eu pago, se não for eu ganho' E o que nós vamos fazer com o Estadão aí? 'Fake News dá processo, vão receber processo'. Então vamos processar, pessoal. Abraço Estadão. Da próxima vez pra vocês não caírem em Fake News, liguem pra mim. O Antagonista, ligue para mim. 'Velha' Magalhães, liga para mim, para saber a verdade. Não sei o motivo que vocês gostam tanto de pegar no meu pé, mas eu estou aí para o que der e vier!"

Assista ao vídeo.


Na descrição do vídeo ele, Luciano Hang, que chama a si mesmo de 'Véio da Havan' escreveu: Quando um jornal tradicional solta Fake News todos se calam... Durante muito tempo foi assim. Só um lado falava. O outro não tinha vez. Alguns jornalistas do Estadão não aprenderam na faculdade que antes de publicar algo é preciso averiguar a veracidade dos fatos? Como saem com uma notícia dessa sem nem sequer me procurar? Qual a intenção disso tudo? Não há sonegação, isso é informação falsa. Em 2009 patrocinamos um time de futebol e estamos discutindo, em âmbito administrativo, alguns valores. Veja o vídeo e entenda."

Leia também Maduro denuncia Bolsonaro na ONU por negligência com a pandemia de coronavírus
PT quer R$ 600 por 1 ano e Bolsonaro diz que "Brasil quebra" sobre mais duas de R$ 600,00
PT quer prorrogar renda de R$ 600,00 por 1 ano
Bolsonaro vai vetar auxílio de R$ 600,00 para o Brasil não quebrar





Lula: "Impeachment de Bolsonaro não é uma questão política. É a única alternativa se quisermos defender a vida"
Moro na estreia da CrusoÉ: "Precisamos dos militares, mas não dos seus fuzis, e sim dos exemplos costumeiros de honra e disciplina"
Bolsonaro após prisão de Queiroz: "Sistema particular (de informações) que tenho falado são amigos que eu tenho pelo Brasil"

Bolsonaro sobre Queiroz: "Parecia que estavam prendendo o maior bandido da face da Terra"
Bolsonaro após prisão de Queiroz: "Não respondo pelo que sei nenhum filho meu responde qualquer processo na Justiça Federal ou perante a Polícia Federal"

Lula: "Por que não foi a Polícia Federal que prendeu o Queiroz?", questionou
Eduardo Bolsonaro após prisão de Queiroz: "O sistema é bruto, o jogo é cruel"
"O importante é que polícias, MP e Cortes de Justiça possam trabalhar de maneira independente", diz Moro que acusou interferência de Bolsonaro na PF

Ex-assessor de Flavio Bolsonaro foi preso com cartaz "AI-5"
Moro na estreia da CrusoÉ: "Precisamos dos militares, mas não dos seus fuzis, e sim dos exemplos costumeiros de honra e disciplina"


Bolsonaro sobre auxílio emergencial: "Milhões de pessoas estão em análise, feita praticamente de forma manual"
MPF intima Flávio Bolsonaro e PF vai ouvir Queiroz sobre vazamento de operação no período eleitoral presidencial

Bolsonaro sobre vídeo: "Lamentavelmente, estes fatos não são mostrados na maior parte da mídia"
Eduardo Bolsonaro e Carlos dizem que Maia fez fake news contra Abraham Weintraub
Bolsonaro voltou ao cercadinho após fugir no dia da prisão de Queiroz

Bolsonaro: "Se dependesse de mim, não teria o pessoal parado de trabalhar não"
Lula: "Impeachment de Bolsonaro não é uma questão política. É a única alternativa se quisermos defender a vida"

"13 prestações do Bolsa Família (35 bi) são menores que uma só prestação (R$ 50 bi) de um mês do auxílio emergencial", disse Bolsonaro
Coronavírus matou mais em 3 meses (41.058) do que trânsito (40.721) ou homicídios dolosos (39.776) em todo ano de 2019 (12 meses) no Brasil

Bolsonaro voltou ao cercadinho após fugir no dia da prisão de Queiroz
Dilma: "Parte da direita brasileira rompeu com o neofascismo, mas sustetna o neoliberalismo de Paulo Guedes"





Comentários
0 Comentários