domingo, 14 de junho de 2020

PT quer R$ 600 por 1 ano e Bolsonaro diz que "Brasil quebra" sobre mais duas de R$ 600,00

PT quer R$ 600 por 1 ano e Bolsonaro diz que "Brasil quebra" sobre mais duas de R$ 600,00

Imagem: Reprodução do Facebook. Montagem da Brasil Contra Corrupção

O PT e Bolsonaro tem diferentes opiniões sobre o auxílio emergencial. O Governo Federal
quer mais duas parcelas de R$ 300,00 e disse que vai vetar se for aprovado de R$ 600,00. Já o PT quer o auxílio por mais 1 ano e com valor de R$ 600,00 por mês.

Leia ou assista o que o presidente falou em live e o que o PT quer.

"A terceira parcela do socorro emergencial de R$ 600 atinge, aproximadamente, 50 milhões pessoas e a conta é maior que R$ 30 bilhões. Mas deve chegar, nos três meses, a R$ 150 bilhões", falou Bolsonaro.
"Não se pode gastar mais, gostaria de gastar, mas se endividar muito, a gente extrapola a capacidade de endividamento. Se não tivermos cuidado, a Selic pode subir, volta ser o país dos rentistas, vira o paraíso da agiotagem legalizada e cada vez mais o que nós temos de riqueza vai para pagar juros das dívidas. Se o Brasil quebrar, a gente não tem para ninguém. A gente tem que ter responsabilidade. Se a Câmara passar para R$ 400, R$ 500 ou voltar para R$ 600, qual vai ser a minha atitude para que o Brasil não quebre? Se pagar mais duas de R$ 600, vamos ter uma dívida cada vez mais impagável é o veto", alertou Bolsonaro.



Já o PT quer R$ 600,00 por um ano. Leia ou assista o vídeo abaixo.

"Sabemos que essa pandemia essa crise na saúde terá efeitos graves na economia e o país não se recuperará e nem dará empregos a todos que precisam pelo menos no prazo de um ano para frente da crise. Por isso é importante garantirmos uma renda básica para que as pessoas possam sobreviver até economia brasileira se reestruturar, e ela não se reestruturará com Bolsonaro na presidência", disse Gleisi Hoffmann.





E você, o que apoia?



Comentários
0 Comentários