segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Deltan Dallagnol: "Risco de se constatar que o MP é incapaz de proteger seus membros que atuam no combate à corrupção"

Deltan Dallagnol: "Risco de se constatar que o MP é incapaz de proteger seus membros que atuam no combate à corrupção"

Imagem: Reprodução Facebook


O Procurador da República e coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, operação que prendeu vários corruptos e descobriu grandes esquemas de corrupção que tiveram repercussão mundial com pessoas presas até em outros países por causa do que foi descoberto aqui no Brasil, vem divulgando em seu perfil no Facebook sobre perseguições que vem sofrendo.

Ele pode ser até mesmo afastado, tem recebido apoio de pessoas do meio e também da sociedade que apoia seu trabalho. Também muitas pessoas são contra o que ele fez, consideram erradas atitudes que ele tomou e o querem fora do que faz. Um grande exemplo é o Lula que também não concorda com o trabalho do Sérgio Moro. O chefe do MP escolhido por Bolsonaro, Augusto Aras, também faz críticas ao trabalho e tem várias ideias para modificar como tudo vem acontecendo.

Abaixo vamos reproduzir alguns dos textos.

"Meu afastamento seria uma punição pelo trabalho contra a corrupção, tornaria letra morta a garantia de inamovibilidade de integrantes do Ministério Público e colocaria em xeque a própria credibilidade e independência da instituição. É justamente para casos como a Operação Lava-Jato que as garantias dos membros do Ministério Público foram estabelecidas na Constituição de 1988", diz uma das postagens de Deltan com para o jornal "O Globo" com título "Afastamento da Lava-Jato como punição pelo combate à corrupção" que foi divulgado no dia 13 de agosto.

"Obrigado de ❤️ pelo apoio. Admiro vocês por sempre defenderem o que acreditam de modo firme e corajoso. É uma imensa honra fazer parte desse time. Não poderia ter enfrentado desafios tão grandes e difíceis nos últimos anos ao lado de pessoas melhores", disse Deltan com um link para o site do Ministério Público Federal com título "Integrantes e ex-integrantes da força-tarefa da operação Lava Jato no Paraná e na Procuradoria Regional da República - 4° região expressam apoio ao coordenador Deltan Dallagnol" também postado no Facebook oficial de Deltan.

"A jurisprudência do CNMP em casos de afastamento compulsório, portanto, destoa da situação que envolve o procurador Deltan Dallagnol. Ela é normalmente utilizada para remover o membro do Ministério Público com postura leniente, jamais o que se dedica e se entrega ao ofício para servir a sociedade de modo combativo e aguerrido. (...) Uma das proteções mais básicas para agentes públicos em todo o mundo é a de que poderão cumprir seu dever sem receio de retaliação. A instauração de processo para remoção compulsória por interesse público sem uma base fática suficientemente demonstrada e grave inibirá ou mesmo erodirá garantias estabelecidas na Constituição para assegurar a independência do trabalho do Ministério Público brasileiro justamente em casos mais graves e complexos, como a operação Lava Jato", disse Deltan sobre um link para o site do UOL Notícias com título "Opinião: O interesse público e as garantias fundamentais dos membros do MP" divulgado dia 14 de agosto.

"Os três precedentes de remoção compulsória pelo Conselho Nacional envolvem casos graves de omissão e desídia na atuação, muito diferente da minha realidade de dedicação ao Ministério Público e ao serviço à sociedade. Seria o primeiro caso de afastamento dissociado de uma atuação leniente, mas, sim, aguerrida e combativa. Jamais respondi a processos disciplinares pela atuação em investigações e processos, a qual é, aliás, coletiva, de uma equipe, e não individual. Nesse contexto, meu afastamento forçado da maior operação anticorrupção da história brasileira, que pode acontecer para cidade distante de Curitiba, intimidaria pelo exemplo e enfraqueceria a independência do trabalho do Ministério Público", diz Deltan com um link que vai pro site do Correio Braziliense com título "Críticas de Aras são por desconhecimento, diz Deltan" divulgado dia 14 de agosto.

"A partir do momento em que o Ministério Público incomodar réus porque está fazendo seu trabalho, e seus integrantes passarem a ser retaliados, removidos, punidos por isso, aí acabou o MP, a sociedade estará  ao Deus dará. Procurador Roberson Pozzobon", com um vídeo no programa da Rádio Bandeirantes apresentado pelo Datena. 


"São ameaças tão graves que mobilizaram dezenas de outros integrantes do MP, dentro e fora da força-tarefa, que apontam também para o risco de se constatar que a instituição é incapaz de proteger seus membros que atuam no combate à corrupção, deixando-os à mercê da fúria retaliatória de investigados e réus”, diz Deltan em postagem que vai pro site do Gazeta do Povo com título "A perseguição contra Deltan Dallagnol e a Lava Jato continua divulgado no dia 17 de Agosto.


É muito importante que toda sociedade esteja ciente do que está acontecendo pois qualquer medida contra o que foi feito, contra Deltan, pode abrir precedente para um caminho sem volta no combate aos corruptos de um modo geral pois criaria um caminho para se vingarem caso sejam alvos de operações, entre tantos outros problemas.


Opinião nossa. Brasil Contra Corrupção desde 2013 no auge dos protestos apoia todo esforço contra o cenário de corrupção e apoia o trabalho da Lava Jato.



------

Por Brasil Contra Corrupção que desde 2013 no auge dos protestos ocorridos durante o evento mundial de futebol, Copa das Confederações que é um teste para realizarem a Copa do Mundo no ano seguinte, faz sua parte na internet, criada por AnonymousBr4sil que desde 2012 atua na internet e fez este movimento, esta ideia, de reunir pessoas em prol de causas e engaja das mais variadas formas, atendendo aos pedidos de muitos perfis que pediam um meio alternativo para verem materiais e compartilharem. Brasil Contra Corrupção não é um site jornalístico, somos meio que um movimento, uma ideia de união de pessoas, blog de opinião pessoal sem compromisso de jornalismo profissional, que divulga conteúdos de interesse da sociedade de todos atores políticos não importando quem sejam, acreditamos no debate acima de tudo e saber o que estão dizendo é fundamental. Não somos envolvidos diretamente com política e partidos, nossa atuação é como fazemos desde nossa fundação. Nunca indicamos ao público em quem votar, apoiamos que votem sempre e participem do processo eleitoral pois devemos sempre acreditar na política para resolver os problemas do país não importa o que tenha acontecido. 

Todas publicações são conferidas antes e tem base nos próprios perfis oficiais das pessoas citadas. Só tratamos de verdade, jamais vamos inventar falas de ninguém. 








Comentários
0 Comentários