sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Datafolha: Bolsonaro, 26%; Ciro e Haddad tem 13% cada; Alckmin, 9% e Marina, 8%

No segundo turno, Jair Bolsonaro perderia em eventual disputa para Ciro Gomes (45% a 38%). Em relação a Marina Silva (43% a 39%) e Geraldo Alckmin (41% a 37%), a desvantagem do candidato do PSL está na margem de erro. Em relação a Fernando Haddad, a vantagem de Bolsonaro é de um ponto percentual (41% a 40%). No fim da postagem você pode comentar com seu Facebook ou Google +.

Publicado em 14/09/2018 - 19:40 e atualizado em 14/09/2018 - 20:33 Por Agência Brasil e editado por Carolina Pimentel - Brasília - Reproduzido por Brasil Contra Corrupção

Imagem. Agência Brasil - EBC - Montagem BCC Brasil Contra Corrupção

Nova pesquisa do instituto Datafolha mostra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) com 26% das intenções de voto na disputa presidencial. Fernando Haddad (PT) atingiu 13% e está empatado com Ciro Gomes, que tem o mesmo percentual. Geraldo Alckmin (PSDB) obteve 9% dos votos e Marina Silva (Rede) é a candidata de 8% dos entrevistados.

Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo) marcam cada um 3% das intenções de voto. Também estão empatados Cabo Daciolo (Patriota), Guilherme Boulos (PSOL) e Vera Lúcia (PSTU), com 1%. João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram.

Treze por cento dos entrevistados declaram votar em branco ou nulo; e 6% não sabem ou não responderam.

O levantamento foi feito ontem (13) e nesta sexta-feira (14) junto a 2.820 eleitores em 187 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pelo jornal Folha de São Paulo e pela Rede Globo e registrada com o número BR05596/2018 na Justiça Eleitoral.

Comparação

Na comparação com a pesquisa realizada na última segunda-feira (10), Bolsonaro oscilou dois pontos percentuais, Haddad cresceu quatro pontos percentuais e Ciro manteve-se estável. O ex-governador paulista Alckmin perdeu um ponto percentual e a ex-senadora Marina desceu três pontos.

Não oscilaram os percentuais de intenção de voto os candidatos Alvaro Dias, Meirelles, Amoêdo, Daciolo, Boulos, Vera Lúcia, João Goulart Filho e Eymael.

A proporção que declara votar nulo ou em branco reduziu em dois pontos percentuais e o número de indecisos e não respondentes oscilou em um ponto.

Rejeição

Em relação à rejeição aos candidatos, Bolsonaro manteve o maior percentual, que subiu um ponto percentual entre as duas pesquisas: 44% declararam que não votariam de “jeito nenhum” no candidato no primeiro turno. O mesmo fenômeno ocorreu com Marina, que agora tem 30% de eleitores contrários à sua eleição.

A taxa de rejeição a Haddad cresceu de 22% para 26%. Alckmin tem 25% de rejeição; e Ciro, tem 21%. Os dois candidatos oscilaram um ponto percentual entre a pesquisa do começo da semana e a realizada ontem e hoje.

Vera Lúcia tem 19% de taxa de rejeição; Daciolo, 18%; Meirelles, Boulos e Eymael, 17%; Alvaro Dias, 16%, Amoêdo,15% e João Goulart Filho, 14%. A rejeição a Alvaro Dias oscilou dois pontos percentuais. Não houve alteração nas taxas de rejeição de Meireles, Amoêdo, Vera Lúcia e Boulos

Os percentuais de eleitores contrários de Daciolo, Eymael e João Goulart Filho caíram 1%, respectivamente.

2º turno
O Instituto Datafolha ainda simulou disputas entre os presidenciáveis no 2º turno entre os principais candidatos. Bolsonaro perde em eventual disputa para Ciro (45% a 38%). Em relação a Marina (43% a 39%) e Alckmin (41% a 37%), a desvantagem está na margem de erro. Em relação a Haddad, a vantagem de Bolsonaro é de um ponto percentual (41% a 40%).

Além de Bolsonaro, Ciro Gomes tem vantagem em eventuais disputas com Haddad (45% a 27%); Marina (44% a 32%); e Alckmin (40% a 34%). Alckmin supera Haddad (40% a 32%) e Marina (39% a 36%). A candidata da Rede tem cinco pontos percentuais de vantagem em relação ao candidato petista (39% a 34%).


Copiado da EBC - Agência Brasil por Brasil Contra Corrupção





Candidato de Lula, Fernando Haddad, no Jornal Nacional


Com acusações do candidato contra a emissora Globo, contra condenações segundo ele da Justiça sem provas, entre vários outros importantes temas.

Imagem. Jornal Nacional - Montagem BCC Brasil Contra Corrupção


O PT oficializou como presidenciável em 2018 o ex-prefeito de São Paulo e ex-Ministro Fernando Haddad que tem como vice, Manuela D'Avila, do PC do B. O ex-presidente Lula após condenação na Justiça foi impedido de participar das eleições. Como não havia sido entrevistado ainda na Globo na série com presidenciáveis, a emissora fez no dia 14 de setembro. Com acusações do candidato contra a emissora Globo, contra condenações, segundo ele da Justiça sem provas, entre vários outros importantes temas.  No fim da postagem você pode comentar com seu Facebook ou Google +.

Leia também Amoêdo no Jornal Nacional
General Mourão, vice de Bolsonaro, na Globo News;vídeo
João Amoêdo no Pânico;vídeo
Marina Silva no Jornal Nacional
Geraldo Alckmin no Jornal Nacional; transcrição e vídeo
Bolsonaro no Jornal Nacional; transcrição e vídeo

domingo, 9 de setembro de 2018

Vídeo: "Vir um terrorista tentar tirar a vida de um homem que é a esperança de milhões", diz Flávio Bolsonaro


"O Brasil não pode temer um militar no comando. Grande parte da mídia, que pinta um monstro do Bolsonaro, está tentando assustar a população como se um capitão no comando do país fosse alguma ameaça", disse o filho de Bolsonaro.

Imagem. Reprodução You Tube/Facebook. Montagem BCC Brasil Contra Corrupção

Ao menos dois atos em prol da vida de Bolsonaro foram realizados neste domingo, nove de setembro. Em outras cidades no Brasil podem ter ocorrido mas até o momento não temos estas informações confirmadas. No Rio de Janeiro, em Copacabana no Posto 6, a concentração foi de parte da manhã até parte da tarde. Com discurso que você pode conferir abaixo. Em São Paulo o ato foi na avenida Paulista. No fim da postagem você pode comentar com seu Facebook ou Google +.

Ato em prol da vida de Bolsonaro em São Paulo. Imagem. Reprodução Facebook  Nas Ruas

"Perdão pela voz, foram dias difíceis que a gente passou agora. Você ver o seu pai sendo carregado nos braços do povo e vir um terrorista tentar tirar a vida de um homem que é a esperança de milhões de brasileiros. Vamos buscar força. Essa vai ser a resposta para aqueles que tentam macular o processo eleitoral com sangue. O Brasil não pode temer um militar no comando. Grande parte da mídia, que pinta um monstro do Bolsonaro, está tentando assustar a população como se um capitão no comando do país fosse alguma ameaça enquanto trata com anormalidade um condenado por corrupção, um ladrão, que tenta fraudar o processo eleitoral. Esse atentado à democracia não pode passar ileso. Parte da mídia está tratando esse homicida como se fosse maluco. Ele não tem nada de maluco. Ele fez isso de modo premeditado. Ele esteve em locais onde os meus irmãos estiveram em outro estado. Estava mapeando os passos da nossa família", disse Flávio.

Informações apuradas confirmaram que o agressor preso pelo atentado esteve em um clube de tiro em São José, SC, onde os filhos de Bolsonaro Eduardo e Carlos são sócios.

Assista abaixo ao vídeo no Rio de Janeiro:




Opção 2:




Assista abaixo ao vídeo em São Paulo com apoio de Nas Ruas e outros movimentos que são contra corrupção:







Quem tiver informações, fotos e vídeos de atos em outras cidades e sobre qualquer assunto das eleições 2018 pode enviar pra nossa página no Facebook. Importante frizar mais uma vez que Brasil Contra Corrupção foi criada em 2013 em prol de mudanças pra melhor e não apoia nenhuma forma de violência se tornando contra qualquer forma de ataques neste sentido. Democracia é tudo, abaixo toda forma de violência!

Brasil Contra Corrupção








sábado, 8 de setembro de 2018

General Mourão, vice de Bolsonaro, na Globo News;vídeo

Figura do vice no Brasil tem papel de protagonismo, tanto pelos ocorridos nos últimos anos quanto neste momento onde Bolsonaro está se recuperando de atentado.

IADC / Domínio Público / Wikimedia Commons - Montagem BCC Brasil Contra Corrupção

No dia sete de setembro o General Mourão, vice de Bolsonaro que foi vítima de um atentado em Minas Gerais e depois transferido para o Albert Einstein em São Paulo, participou de entrevistas no programa Central das Eleições no canal por assinatura Globo News.

Fatos interessantes chamam atenção na entrevista concedida pelo Militar e você pode ler o breve resumo de alguns itens abaixo dos vídeos.

Leia também "Não embarca em lenda urbana que muitas vezes é transmitida pela internet", diz Mourão sobre Nióbio


sexta-feira, 7 de setembro de 2018

João Amoêdo no Pânico;vídeo

Quer ser conhecido como gestor mas rejeita comparações com João Doria que foi prefeito de São Paulo e atualmente é candidato ao governo do estado.

Imagem. Reprodução canal Pânico Jovem Pan no You Tube - Montagem BCC Brasil Contra Corrupção

O presidenciável pelo Partido Novo, João Amoedo, esteve no programa Pânico respondendo muitos questionamentos frequentes sobre sua história de um modo geral e grande patrimônio. O fato de não ter participado de nenhum debate faz com que a maior parte do eleitorado que ainda é alcançado apenas e somente pela TV e Rádio não pode conhecer suas propostas. Uma petição com mais de 600 mil assinaturas para que ele participasse teve esta enorme adesão mas ele ficou de fora mesmo assim. Com patrimônio de R$ 425 milhões o presidenciável João Amoêdo diz querer levar sua história de sucesso na vida privada pra vida pública como Presidente do Brasil! Abaixo, no fim da postagem você pode comentar com seu Facebook ou Google +.

Leia também Amoêdo no Jornal Nacional
João Amoêdo no Canal Livre
"Exigirá do presidente muita convicção sua, não só dos seus assessores”, diz Amoêdo sobre economia; vídeo completo